We are proud to release in this market the first lines of fragrances Buibere for Her and Maubere for Him. Together with glass handcrafted gifts perfect for Christmas.
BEM VINDO E OBRIGADO PELA VISITA!

sábado, 18 de maio de 2013

TIMOR Alma Guerreira! ... e assim nasceu uma nova Nação!

Comemorando de longe os 11 anos da Restauração da Independencia de Timor Leste partilho o poema "Alma Guerreira" de autoria própria em homenagem a todo o Povo Timorense que de corpo e alma durante 24 anos lutou para conquistar a Paz e a Liberdade.

...
Lembro-me dos dias de antigamente
Em que me encantava na pureza
e na natureza despertava
num olhar cru e solenente

Lembro-me dos meus leves passos
calcando a terra 
na onda do mar, ao som do vento 
sob a  melodia dos pássaros

Mas lembro-me também do conforto dos teus braços
da tua pele agreste
Do silêncio das tuas expectativas
E do despertar inesperado

Lembro-me da chuva, do sol, do vento, do fumo...
Como voz da minha companhia
A salvaguarda da minha inquietação
A minha única sinfonia


Lembro-me dos temores, da ansiedade, do sufoco da pressão
Que de célere à minha diante
Ergueram o Guerreiro adormecido
O Guerreiro despercebido

Era hora de enfrentar
Era hora de lutar
Era hora de defender
Com a minha alma guerreira

Conquistar a Liberdade
Relembrar a minha história
A tua história, a nossa história
A história dos nossos ancestrais

A história da nossa terra Mãe
A História do Povo Maubere
A História de Timor Loro Sae
    guerreiro
Nós nascemos para ser livres, e, quando forças estranhas ou alheias às nossas vontades ameaçam extinguir a nossa liberdade, o poder da nossa alma humana sobrepõe-se a todas as contingências e a todos os sacrifícios, para que ela seja como deve ser, um bem supremo livre. Perseverança, Fé Acreditar e Ousar foi a Chave Mestre da nossa Independencia. Foi assim que erguemos, foi assim que Vencemos, Assim, Hoje...

A República Democrática de Timor Leste VIVE!

video

... e assim nasceu uma nova Nação!

Durante 24 anos Timor e todos os Timorenses sofreram por desejar a justiça divina nas suas vidas, lutando contra a ocupação da Indonésia. O direito à autodeterminação teve um preço bastante elevado, milhares pagaram com a sua própria vida por ansear a Paz e a Liberdade. O genocidio que este povo sofreu alertou o mundo para um povo que ha muito havia sido esquecido.

Embora tardia a causa do Povo Timorense havia ganho a atenção da população internacional, sendo assim defendida pelos jornalistas internacionais, grupos activistas, organizações e instituições religiosas que também mantiveram um papel de ouro nesta luta.

O direito à autodeterminação ja não seria uma incógnita, definitivamente as Nações Unidas concederam  a oportunidade para o povo escolher o seu próprio destino. Autonomia especial com Indonésia, Sim ou Não?   Mesmo sob pressão por parte das as forças pró-autonomistas e dos grupos das Milicias reunidos pelas forças da Indonesia o Povo expressou a sua vontade sem exitações, e assim, a sua voz fez-se ouvir mesmo que "debaixo de fogo". Consequentemente a Consulta Popular realizou-se a 30 de agosto de 1999. Uma maioria esmagadora, 78,5%, dos votantes rejeitou a autonomia especial proposta pela Indonesia, abrindo caminho para a Independência Total.

Imediatamente apos o resultado da consulta popular, as ondas de terror e incêndios premeditados no país começaram. A maioria das infraestruturas foram destruídas. Centenas de milhares de pessoas ficaram sem casa, e milhares perderam a vida. 

Para fazer face a esta crise, o A ONU autorizou a entrada das forças de intervenção de paz para restaurar a ordem e estabelecer uma administração transitória para Timor ate que fossem propriamente designadas as instituições formais de Estado. Apos aproximadamente 3 anos, a 20 de Maio de 2002, a Independência de Timor-Leste havia sido oficialmente restaurada, e assim nasceu uma nova Nação, a Nação de Timor-Leste!

Parabéns a TIMOR!
Pela Independencia merecida por Mérito!
Viva 20 de Maio, Viva Timor-Leste!


Dalia Kiakilir Agostinho
in Timor Alma Guerreira!...e assim nasceu uma nova Nação!
Oxford, 19 de Maio de 2013

Sem comentários:

Enviar um comentário